© THEME
Flag Counter

Se me perguntarem qual o sentimento que considero mais bonito ou mais importante, vou abrir um sorriso e dizer: O correspondido.

Martha Medeiros.  (via promisse)


Nessas horas sempre surge aquela tradicional perguntinha: Por que aquela pessoa pela qual você trocaria qualquer programa por um simples filme com pipoca abraçadinho no sofá da sala não despenca na sua vida?

Luis Fernando Veríssimo (via desembarcou)


Eu estava longe de ser uma pessoa interessante. Não queria ser uma pessoa interessante, dava muito trabalho. Eu queria mesmo um espaço sossegado e obscuro, pra viver a minha solidão; por outro lado, de porre, eu abria o berreiro, pirava, queria tudo, e não conseguia nada.

Charles Bukowski (via teleportear)




Desculpa amor, mas é tão fácil fingir que gosta… Por isso sempre desconfio.

Soulstripper.   (via t-a-q-u-i-c-a-r-d-i-a)





Tenho medo de decepcionar as pessoas, de magoá-las, de fazê-las cansarem de mim. Só queria que elas também tivessem esse medo.

Tati Bernardi. (via poetadoalem)



Ela gostava de ler. Eu sempre fui apaixonado por romancistas. Ela tinha olhos verdes. Eu sempre me interessei por olhos claros. Ela tinha a pele pálida. Eu nunca gostei de sol. Ela dizia não gostar de televisão. Eu sempre preferi livros e vinho. Ela carregava sobre si todas as dores do mundo. Eu sempre me senti um peso. Ela nunca aprendeu amar. Eu sempre fui um bom professor.

Querido John.  (via reatou-se)



Não é uma luta justa, eu lá me esforçando pra ser mulher e você estrala os dedos, puxa meu queixo e me faz menina tudo outra vez.

Gabito Nunes.  (via poetadoalem)